Duff, a cerveja dos “Simpsons”

Admiro a capacidade que têm as pessoas de transcender metas institucionais, superar barreiras burocráticas e subverter valores estabelecidos. E também acho que a liberdade de informação sempre é mais propícia à inovação que os direitos de propriedade. Mas esse caso da cerveja Duff, dos “Simpsons”, é diferente de tudo.

A Duff que conheço é algo imaterial, fictício, criado para um desenho assistido no planeta inteiro. Essa mesma Duff foi transformada em algo material com fins comerciais – e sem autorização dos seus criadores, provedores etc. É como se eu montasse sozinha uma fábrica de True Blood, versão álcool, com tudo associado a série, e ainda ganhasse publicidade gratuita da HBO.

Lembro que, durante a campanha para a presidência dos EUA, McCain usou um jingle criado para um game. O criador do jingle, que não tinha uma mente proprietária, não se incomodou e aproveitou para dizer: “Pode usar, mas simpatizo mais com o Obama”. Bens imaterias podem, e devem, ser reproduzidos. Bens materiais, como um sapato, uma cerveja, não. Sem falar que ver um cara tomando uma Duff…não deve ser muito estimulante. Bem coisa de homem bobão mesmo.

Anúncios