Todos odeiam Pete Campbell?

Pete Campbell não pode ser menosprezado e seu efeito em Mad Men é insubstituível A quinta temporada começa a avançar agora, a partir do quinto episódio – e graças a ele. Em uma hora, Pete tenta seduzir uma adolescente, organiza um jantar, conserta um cano, dorme com uma prostituta e perde uma briga. Lane acha que Pete virou um monstro; Joan diz que “todos querem dar um soco nele”. Difícil gostar de Campbell neste momento, mas o ótimo ator Vincent Kartheiser defendeu hoje o personagem no Washington Post:

I think Joan’s right. A personality type like Pete sometimes has to push people’s buttons, and through the seasons he has done that. I’m not sure if Lane’s right about him being a “grimy little pimp” or that he deserves all the blame for that situation. Pete’s upset at all of them for laughing at him. He felt betrayed.

E Don Draper segue com sua personalidade vigorosa e constante, mas mutável. De temporada para temporada ele é o mesmo e é outro: uma habilidade maior para comunicar, mas a mesma busca de se manter no passado, a mesma presença do erotismo. Seu maior defeito agora não é mais a sua brutalidade velada – é a sua delicadeza.

No mais, a série continua acertando sem cair no sentimentalismo barato, no melodrama. É preciso certa sofisticação intelectual para gostar de Mad Men: a maioria das pessoas é muito básica, violenta, ansiosa, romântica ou conservadora para os sabores não habituais da série.

Anúncios