O estilo de gestão dos criadores de séries de TV

Em seu novo livro Homens Difíceis: Nos bastidores de uma revolução criativa, Brett Martin fala sobre a transformação do drama na TV e conta como bandidos e traficantes de drogas viraram pessoas amadas pelo público. O título de Martin tem dois sentidos e o primeiro está definido na capa, que traz  Walter White, de Breaking Bad, com Tony, de Sopranos – está mais do que claro que a revolução começou na HBO e na AMC e a capa faz jus a isso.

tony soprano e walter white

Mas um outro tipo de “homem difícil” surgiu nestes anos: os criadores destes programas. O livro de Martin revela o estilo de gestão desses caras e explica como essas mentes criativas conseguiram inspirar seus colegas de trabalho. Vou destacar alguns aspectos:

  • Cada um deles é diferente, mas cada um está lidando com um problema semelhante que é como se adaptar ao mercado.
  • Uma das maneiras de fazer isso está relacionada a colaboração na hora de escrever. Outra está associada a necessidade de se tornar um gerente – se tornar um CEO, de certa forma, de uma série.
  • Matt Weiner, criador de Mad Men, e Vince Gilligan, de Breaking Bad: estilos diferentes de criação.

    Matt Weiner, criador de Mad Men, e Vince Gilligan, de Breaking Bad: estilos diferentes de criação.

  • Alguns são extremamente autocráticos e implacáveis em NÃO usar a criatividade das pessoas ao seu redor: Matt Weiner [de Mad Men] é certamente dessa turma, David Chase [de Os Sopranos] é certamente dessa turma também.
  • Alan Ball [Six Feet Under] e Vince Gilligan[Breaking Bad] são mais dados à atmosfera colaborativa.

O que é surpreendente para mim, embora todos sejam diferentes, é como cada um deles acaba chegando em um nível tão elevado de criação.

O livro também traz uma linha do tempo (dei um print tosco no ipad) pra ilustrar a evolução desses personagens ao longo dos anos.

linha do tempo séries

O resto só lendo o livro pra saber.

Anúncios