Porque “Better Call Saul” será uma spinoff de sucesso

Já sabemos que Saul Goodman vai ganhar uma série e que o drama cômico de uma hora servirá como variação para os eventos de “Breaking Bad“. Pelo menos esta notícia para nos consolar porque eu, pessoalmente, não consigo lidar com mais perdas.

Série do Saul

A nova série, supostamente, será mais leve do que “Breaking Bad” por uma margem considerável de razões e a primeira delas é: qualquer coisa consegue ser mais leve que “Breaking Bad”. Existem motivos DE SOBRA para acreditar que esta série não será  mais um “Joey” ou um “Private Practice” da vida. Explico abaixo.

Possibilidades para “Better Call Saul

Saul apareceu na segunda temporada de “Breaking Bad” e tornou-se uma parte intrínseca da série porque, como Jesse assinalou, “é melhor ter um advogado que seja criminoso quando se está no negócio de metanfetamina”.

Para Saul há um mundo de possibilidades.

  • Seria ótimo, por exemplo, ver exatamente como ele construiu sua rede de caras: “conheço um cara que conhece um cara.”
  • Eu também gostaria de ver mais histórias envolvendo “limpeza” e histórias pessoais também – Saul uma vez contou para Walt uma história sobre sua segunda esposa, pega traindo ele com o seu padrasto.

Mas talvez seja a Saul Goodman & Associates a fonte mais fértil de histórias  com sua sala sempre tão cheia de clientes- quem são essas pessoas?

AMC x Netflix

Vale lembrar que Vince Gilligan já tinha falado sobre a possibilidade de uma série centrada em Saul, mas a AMC (responsável por Breaking Bad) ainda não tinha comprado a ideia. Quando a Sony TV, que produz o show, começou a falar com outras redes (incluindo, é claro, o Netflix) a AMC finalmente assumiu o comando de “Better Call Saul.”  Nada como a concorrência!

O último episódio de Breaking Bad vai ao ar no dia 29 de setembro.

Anúncios